Pular para o conteúdo principal

Senadores querem mudar lei para barrar crianças em exposições com nudez


O Projeto de Lei do Senado n° 506, de 2017 (PLS 506/2017) altera o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), a fim de estabelecer a vedação do ingresso de crianças e adolescentes em eventos que "tenham nudez como foco, bem como apresentem obras retratando, ainda que simulado, sexo explícito, sexo com animais, apologia à prática de pedofilia", além do desprezo ou "ataque a crenças e credos".
O texto, apresentado em 13 de dezembro, é assinado pelo senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI, e pelo relator da comissão, senador José Medeiros (Podemos-MT). O texto conta ainda com o apoio de outros quatro colegas: Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Eduardo Lopes (PRB-RJ), Hélio José (PROS-DF) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
De acordo com a proposta, a CPI se deparou com "abusos sistemáticos na exposição de meninos e meninas a obras de arte de caráter absoluta, ente inadequado para seu desenvolvimento sadio". O projeto afirma ainda que o objetivo é evitar que crianças e adolescentes sejam expostos a "cenas nada edificantes, que somente contribuem para obstruir a formação de caráter de nossos meninos e meninas".
Parecer da procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, sustenta que a mera nudez de um adulto diante de menores de idade não constitui crime. O documento afirma também que "é vedado ao legislador infraconstitucional estabelecer qualquer espécie de limitação à liberdade de expressão".
Sobre o direito de crianças e adolescentes a diversões e espetáculos públicos adequados à sua faixa etária, Duprat argumenta que o tema deverá ser regulado exclusivamente por lei federal, cabendo ao Poder Público "informar sobre a natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em que sua apresentação se mostre inadequada", sendo vedada "toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística".

Arte e nudez

Instalada em agosto de 2017, a CPI tinha como objetivo inicial debater propostas para combater crimes na internet, ações contra o bullying e contra o jogo Baleia Azul, que levou ao suicídio de menores.
Nas reuniões do colegiado, contudo, o debate mudou o foco para duas exposições de arte que causaram polêmica em 2017. Presidente do colegiado e integrante da bancada evangélica, Magno Malta foi alvo de crítica de colegas por fazer um uso político da comissão. Só com o deslocamento de parlamentares e de depoentes, incluindo curadores das mostras, o Senado Federal gastou R$ 39.113,78.
Em 23 e 24 de outubro, Magno Malta e o relator, senador José Medeiros viajaram a São Paulo, para audiência no Ministério Público com sobre a exposição "35º Panorama da Arte Brasileira - Brasil por Multiplicação", no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), em que um artista se apresentou nu.
Já em 23 de novembro, a CPI recebeu Luiz Camillo Osorio, curador da mostra do MAM, e Gaudêncio Cardoso Fidélis, curador da Exposição Queermuseu, com obras sobre diversidade sexual.

CPI dos Maus-Tratos prorrogada

A CPI terá até o final de junho para concluir as investigações e apresentar eventuais novas propostas. Além do PLS 506/2017, a comissão apresentou outras duas propostas.
O Projeto de Lei do Senado n° 507, de 2017 altera a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) para exigir que empresas de serviços de educação infantil ou do Ensino Fundamental passem a exigir comprovação de antecedentes criminais dos funcionários.
O texto também estabelece que esses trabalhadores passarão por avaliação de saúde física e mental na contratação e anualmente e que o funcionário será obrigado a informar ao empregador sobre o uso de medicamentos psicoativos e sobre eventual diagnóstico de transtorno mental. A omissão dessas informações pode resultar até em demissão por justa causa.
Já o Projeto de Lei do Senado n° 508, de 2017 altera o ECA para estabelecer que os dirigentes de estabelecimentos de Ensino Fundamental comuniquem ao Conselho Tutelar casos de violência autoprovocada envolvendo alunos.

Postagens mais visitadas deste blog

Prefeitura de Ipirá prepara inauguração de nova Avenida

A Prefeitura de Ipirá está trabalhando para garantir dias melhores para a população de todo o município. Nesta terça-feira, 18, mais uma importante obra foi concluída e vai garantir mobilidade e comodidade para as pessoas que residem no Flor da Chapada, bairros próximos e todas as pessoas que trafegam pela área.
A nova Avenida Rio Grande do Sul, construída com recursos próprios, passou recentemente pela marcação e sinalização horizontal e vertical da via.
Com extensão de aproximadamente 1,2 km (um quilômetro e duzentos metros) a nova avenida será entregue nos próximos dias pelo prefeito Marcelo Brandão e a equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura, além da população em geral.





REDAÇÃO IPIRÁ FATOS E FOTOS
FOTOS: ANTONIO SOARES

Prefeitura de Ipirá inaugura Av. Rio Grande do Sul com entrega de prêmios nesta sexta (28)

A prefeitura de Ipirá está finalizando os preparativos para a inauguração que acontece nesta sexta-feira (28), a partir das 18h00, das obras realizadas na Avenida Rio Grande do Sul, importante acesso ao Flores da Chapada. Foram executados diversos trabalhos, objetivando a melhoria do tráfego, da segurança e da mobilidade no trânsito daquela região. A solenidade de inauguração, com a presença do prefeito Marcelo Brandão e demais autoridades municipais, acontece às 18h00, na nova Avenida, na área do conjunto habitacional Flores da Chapada. Toda a população é convidada para este momento importante da Administração Municipal que cumpre mais um compromisso feito. Com mais de 1.000 metros de extensão, a Avenida Rio Grande do Sul foi executada com recursos municipais. A obra é uma das principais vias de acesso ao bairro Flores da Chapada e outros. A prefeitura também fará o sorteio de prêmios da Campanha IPTU Premiado 2018 no local. Durante a solenidade serão sorteados dezenas de prêmios, c…

Iniciadas as obras de construção de 48 casas do PNHR em Ipirá

Prefeitura de Ipirá realiza reunião com beneficiários do PNHR
Seguindo o cronograma para execução das obras, os 48 beneficiários do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), participaram de uma reunião na tarde dessa quarta-feira (26), coordenada pelo vereador Suita, equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e a Diretoria do CRAS.
Com total apoio do prefeito Marcelo Brandão e a dedicação do vereador Suita, o PNHR já beneficiou dezenas de família em Ipirá e outras várias famílias também serão contempladas. Isso é fruto de muito trabalho e empenho da atual administração.
O Secretário de Assistência Social, Osmar, esteve presente no encontro com os beneficiários e destacou a importância do programa para as famílias e ainda reforçou toda a dedicação do prefeito Marcelo Brandão e o vereador Suita para que as famílias tenham sua casa própria. As obras foram divididas em três etapas, neste primeiro momento foram iniciadas as obras para a construção de 16 casas e a previsão é q…