Pular para o conteúdo principal

Senadores querem mudar lei para barrar crianças em exposições com nudez


O Projeto de Lei do Senado n° 506, de 2017 (PLS 506/2017) altera o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), a fim de estabelecer a vedação do ingresso de crianças e adolescentes em eventos que "tenham nudez como foco, bem como apresentem obras retratando, ainda que simulado, sexo explícito, sexo com animais, apologia à prática de pedofilia", além do desprezo ou "ataque a crenças e credos".
O texto, apresentado em 13 de dezembro, é assinado pelo senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI, e pelo relator da comissão, senador José Medeiros (Podemos-MT). O texto conta ainda com o apoio de outros quatro colegas: Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Eduardo Lopes (PRB-RJ), Hélio José (PROS-DF) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
De acordo com a proposta, a CPI se deparou com "abusos sistemáticos na exposição de meninos e meninas a obras de arte de caráter absoluta, ente inadequado para seu desenvolvimento sadio". O projeto afirma ainda que o objetivo é evitar que crianças e adolescentes sejam expostos a "cenas nada edificantes, que somente contribuem para obstruir a formação de caráter de nossos meninos e meninas".
Parecer da procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, sustenta que a mera nudez de um adulto diante de menores de idade não constitui crime. O documento afirma também que "é vedado ao legislador infraconstitucional estabelecer qualquer espécie de limitação à liberdade de expressão".
Sobre o direito de crianças e adolescentes a diversões e espetáculos públicos adequados à sua faixa etária, Duprat argumenta que o tema deverá ser regulado exclusivamente por lei federal, cabendo ao Poder Público "informar sobre a natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em que sua apresentação se mostre inadequada", sendo vedada "toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística".

Arte e nudez

Instalada em agosto de 2017, a CPI tinha como objetivo inicial debater propostas para combater crimes na internet, ações contra o bullying e contra o jogo Baleia Azul, que levou ao suicídio de menores.
Nas reuniões do colegiado, contudo, o debate mudou o foco para duas exposições de arte que causaram polêmica em 2017. Presidente do colegiado e integrante da bancada evangélica, Magno Malta foi alvo de crítica de colegas por fazer um uso político da comissão. Só com o deslocamento de parlamentares e de depoentes, incluindo curadores das mostras, o Senado Federal gastou R$ 39.113,78.
Em 23 e 24 de outubro, Magno Malta e o relator, senador José Medeiros viajaram a São Paulo, para audiência no Ministério Público com sobre a exposição "35º Panorama da Arte Brasileira - Brasil por Multiplicação", no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), em que um artista se apresentou nu.
Já em 23 de novembro, a CPI recebeu Luiz Camillo Osorio, curador da mostra do MAM, e Gaudêncio Cardoso Fidélis, curador da Exposição Queermuseu, com obras sobre diversidade sexual.

CPI dos Maus-Tratos prorrogada

A CPI terá até o final de junho para concluir as investigações e apresentar eventuais novas propostas. Além do PLS 506/2017, a comissão apresentou outras duas propostas.
O Projeto de Lei do Senado n° 507, de 2017 altera a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) para exigir que empresas de serviços de educação infantil ou do Ensino Fundamental passem a exigir comprovação de antecedentes criminais dos funcionários.
O texto também estabelece que esses trabalhadores passarão por avaliação de saúde física e mental na contratação e anualmente e que o funcionário será obrigado a informar ao empregador sobre o uso de medicamentos psicoativos e sobre eventual diagnóstico de transtorno mental. A omissão dessas informações pode resultar até em demissão por justa causa.
Já o Projeto de Lei do Senado n° 508, de 2017 altera o ECA para estabelecer que os dirigentes de estabelecimentos de Ensino Fundamental comuniquem ao Conselho Tutelar casos de violência autoprovocada envolvendo alunos.

Postagens mais visitadas deste blog

Luiz Barata é homenageado pela Motopel em Ipirá

A terça-feira, 27, começou de maneira surpreendente e emocionante para Sr. Luiz Magalhães, conhecido carinhosamente por Luiz Barata. Há muitos anos na Motopel, Luiz Barata viabilizou para muitos a esperança de um dia possuir uma motocicleta.  As homenagens pela passagem do seu aniversário contaram com toda equipe da Motopel, clientes e amigos que fizeram questão de prestar as mais sinceras felicitações. A diretoria e os funcionários da empresa não poderiam deixar esta importante data passar em branco. Por volta das 10h, Luiz Barata foi chamado para receber uma homenagem pelos anos de vida e os vários anos de serviços prestados a empresa. Na oportunidade, fizeram uso da palavra a Gerente Comercial Ana Celia Ribeiro, a Diretora Gislane Cavalcanti em nome do Grupo Motopel e o Diretor Wilson Perei Filho em nome de toda a família Motopel.





Dílson da Farmácia necessita com urgência de doação de sangue

Antônio Dílson Coutinho Fonseca, popularmente conhecido como Dílson da Farmácia Santo Antônio em Ipirá, está internado no Hospital Dom Pedro de Alcântara em Feira de Santana, com um quadro de anemia e necessita urgentemente de sangue de qualquer tipo de sanguíneo.

Quem puder fazer a doação, deverá comparecer nesta segunda-feira (23) ao IEF em Feira de Santana para fazer a doação em nome de Dílson Coutinho.

Fonte: Caboronga Notícias com imagem do Facebook

Comoção e lágrimas marcaram o sepultamento de “Sinho Xêpa” em Ipirá

Trilheiros de motocross, motambike, ciclistas, desportistas, familiares, amigos e admiradores de Marcio Galdino dos Santos “Sinho Xêpa”, se despediram do amigo na manhã desta segunda-feira (09), com emoção, aplausos e lágrimas. Durante toda noite deste domingo, milhares de pessoas se revezaram no velório que aconteceu na residência da família, localizada na Avenida Pedro José da Silva, número 14, bairro Casas Populares, para prestar as últimas homenagens aos amigos que era um símbolo de alegria para todos que o conheceram. Marcio Galdino Santos “Sinho Xêpa”, faleceu aos 39 anos na manhã deste domingo (08), vítima de acidente de veículo na rodovia Ipirá-Itaberaba. Além de excelente profissional de Educação Física, ficou conhecido por realizar no período de festas juninas o tradicional Forró da Xêpa. O cortejo fúnebre saiu da residência da família, percorreu várias ruas da cidade e seguiu com destino ao cemitério do povoado de Umburanas, onde será sepultado. “Fica para todos os que o c…